A recusa de uma obra do nível do Acquário serve de amostra para que os repasses de verba sejam melhores analisados, servirá para mostrar que a sociedade prefere que uma verba destinada a uma construção megalítica num estado que sofre com a seca no interior não quer um aquário cheio de água, que ainda não sabemos muito bem como será provida essa demanda de 15 milhões de litros para o tanque. Dar uma recusa neste acquário é, por si só, uma reivindicação por verbas empregadas de maneira mais responsável e em ações que demandam urgência. Sim, devemos reivindicar mais verba para a educação, já perdemos os 100% dos royalties do petróleo (que a educação só veria a partir de 2020, diga-se de passagem) e dizer "não ao acquário" é mostrar que a gente não quer mais um circo, a gente quer ações que venham a beneficiar o povo diretamente. Infelizmente o retorno que viria para o turismo não beneficiaria tanto assim a nossa cidade.. Quem é inocente de achar que o recepcionista do hotel vai ganhar mais? Mas o hotel, provavelmente de um conglomerado europeu, ou de grandes empresários brasileiros, vai poder aumentar sua tarifa... "Lei" da oferta e da procura... Quanto disso vai ser repassado ao povo? Ao trabalhador? O não ao acquário é mais do que o não ao empreendimento, é o basta ao benefício dos grandes e o SIM ao povo. Que volte a verba, que repense a verba e que ela volte em obras voltadas para a educação, a saúde e de auxílio a estiagem.